Entrevistas Posts Recentes

A transformação da vida em dobrinhas

Origami - dobrinhas“Papel dobrado”. Esse é o significado da palavra japonesa origami em português, uma secular e tradicional arte de criar objetos com dobras geométricas em papel, sem cortar ou colar. São diversos tipos de dobras, dos mais simples aos mais complexos.

E foi desta arte que a jornalista Eva Duarte fez sua vida profissional.

Com forte ligação com o papel desde a infância, a filha de professora de Desenho Geométrico sempre apreciou desenhar, recortar e colar poliedros (http://www.brasilescola.com/matematica/poliedros.htm).Sempre que participava de oficinas de origami ela voltava cheia de papéis dobradinhos e nunca sabia o que fazer com eles. Eis que ela conheceu o conceito de kusudama – as bolas de cura. Nunca mais parou. E seu trabalho ganhou o boca a boca e se expandiu entre artistas, produtores e designers. A coisa ficou tão séria que suas peças são requisitadas por proprietários de butiques, joalherias e lojas de decoração, entre outros empreendimentos e profissionais de diversos lugares do país e até do exterior, incluindo Europa.

Na entrevista abaixo, Eva fala um pouco sobre esta trajetória.

Como se deu seu interesse por origami?

Eu já fazia alguns bichinhos, florzinhas e estrelinhas, mas não sabia o que fazer com elas até conhecer a kusudama. Essa palavra significa “bola de cura”, o origami como presente, dádiva, algo feito com as mãos para desejar tudo de bom! Foi então que comecei a investigar as infinitas possibilidades de modelos e papéis, jogando com as também infinitas combinações de papéis e fios. Foi quando os bichos, flores e estrelas encontraram seu lugar, penduradinhos nos fios que pendem das kusudamas.

 

Poderia explicar melhor o que á a kusudama?

A kusudama é uma bola de cura. Feita em origami, originalmente era recheada com ervas e presenteada a doentes que a usavam pendurada no espelho da cama. Atualmente, seu uso se expandiu. Afinal, todos nós precisamos de alguma cura. A kusudama é usada para desejar saúde, felicidade e boa sorte. O uso consciente das cores também pode criar peças que auxiliem em tratamentos de cromoterapia. Para quem dobra uma kusudama, a repetição dos módulos 3, 6, 12, 30, 60 vezes leva a mente a estados superiores de tranquilidade. Ah! Se todo o mundo fizesse origami…

 

Qual o benefício de pais e filhos trabalharem o origami?

Juntos, seria uma maneira de criar algo em comum, um presente para alguém, uma peça de decoração para um cantinho da casa. Ao fazermos origami juntos, sempre surge um desejo de falar de como nos sentimos e do que andamos fazendo.

 

É fácil fazer? Pedagogicamente falando, como ministrar atividades com origami interessantes para as crianças?

Para cada faixa etária existem dobrinhas possíveis. Já dei aula para bem pequeninos e para bem adultos. Em maio, vou começar um trabalho que sempre quis desenvolver, uma oficina que brinca com origami e poesia, a começar com o aviãozinho que cruza a sala de aula de Lili, em Mário Quintana. Imagine as crianças não simplesmente dobrando, mas dobrando borboletas de Vinicius, barquinhos de Tom, estrelas e planetas para o Pequeno Príncipe percorrer…

 

Quer conhecer mais sobre o trabalho de Eva Duarte? Acesse o blog Dobrinhas (www.dobrinhas.blogspot.com).

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5206 ms: Connection timed out