Curiosidades

Quais as piores epidemias do mundo?

Hoje em dia a tecnologia e o avanço da ciência, ao longo de séculos e décadas, possibilitou a criação de diversas vacinas, remédios e a cura para todo tipo de doença. Mas há muito tempo atrás, não existia e as pessoas morriam de enfermidades que hoje são simples de se tratar e prevenir. Muitas destas epidemias mataram milhares de pessoas e populações inteiras nas cidades.

Para quem não sabe o que é uma epidemia, é quando uma doença ou enfermidade ganha grande proporções de contaminação, consideradas em maior quantidade, além do “normal”, matando centenas e milhares de pessoas.

Entre elas podemos citar a varíola, peste negra, gripe espanhola, tuberculose, cólera, febre amarela, etc. Uma das piores, a peste negra ou peste bubônica matou cerca de 50 milhões de pessoas na Europa e Ásia, no Século 14. O combate se deu a partir do momento em que houve maior preocupação com a higiene, saneamento básico, diminuindo a proliferação de ratos, o transmissor da doença. A pulga deste animal era quem fazia a transmissão da bactéria Yersinia pestis. A doença provocava inflamação dos gânglios linfáticos, e dava tremores, febre alta, dores localizadas, entre outros sintomas.

Outra considerada muito devastadora, e a maior de todas, foi a gripe espanhola, por volta de 1918, que não atingiu apenas a Espanha, mas diversos países do mundo. Ela chegou a matar aproximadamente 50 milhões de pessoas em um ano. Causada pelo vírus influenza, ela apareceu após a primeira Guerra Mundial. Já a varíola, que hoje tem vacina, matou cerca de 300 milhões de pessoas entre 1896 e 1980, entre elas, boa parte da população indígena. Ainda no Século 18, a varíola foi a causa da morte de um terço das crianças da época.

E , por mais que haja ciência para muitas doenças, não podemos facilitar a entradas destas grandes doenças. Para isso, é necessário manter em dia a vacinação das crianças e adultos. Sim, adultos também devem tomar vacinas. Para saber quais vacinas você deve tomar, procure o posto de saúde mais próximo e se informe. Para quem precisa viajar para outros países, principalmente, a exemplo da febre amarela. Mantenha-se saudável, previna-se e tenha sua carteira de vacinação em dia.

Cuidem Bem de Mim – As Doenças Infantis
Uma dica de leitura que pode ajudar muito é o livro Cuidem Bem de Mim – As Doenças Infantis, de Gloria Cabezuelo e Pedro Frontera. Neste guia prático para os pais, as doenças são descritas em uma linguagem simples, explicando o significado dos termos médicos e sobretudo indicando a atitude mais aconselhável em cada caso concreto, as medidas a serem tomadas, as atitudes que podem ser prejudiciais, dizendo quando é preciso consultar o pediatra e quando a consulta pode ser adiada. Um livro útil e prático que não deve faltar em nenhuma casa.

Compartilhe:

Postar um comentário

*
*