Curiosidades

Grandes artistas e suas obras: Tarsila do Amaral

Uma boa parte da meninada é bem talentosa e gosta de desenhar, pintar. Outra parte, nem tanto. E alguns, um pouco mais velhinhos, se interessam por quem gosta de pintar. Mas, para estimular a criatividade, bom mesmo é levar pra eles o conhecimento as artes, sobre grandes nomes que abrilhantaram nossa história e fazem parte do nosso mundo, seja no museu, nos livros ou cotidiano. Pensando nisso, iniciamos uma série para que pais e filhos possam juntos se aventurar nas descobertas sobre a vida e obra de grandes artistas, os mais famosos e conhecidos, sejam eles internacionais ou brasileiros, em ordem intercalada. São eles pintores, escritores, escultores, músicos, entre outros.

Para começar, a gente dá início a uma representante da pintura brasileira: Tarsila do Amaral, uma expoente do movimento Modernista, de grande representatividade nacional e mundial. Sua obra mais conhecida é o Abaporu, cuja obra foi criada em 1928 e dada de presente para seu marido na época, o escritor Oswald de Andrade. A obra foi batizada com um nome formado por palavras indígenas: aba que é homem e poru que significa homem que come carne humana. Ou seja, Abaporu é sinônimo de antropófago.

Considerado o quadro mais importante da arte brasileira, Abaporu inspirou Oswald de Andrade a escrever o Manifesto Antropofágico, dando início ao Movimento de mesmo nome. Nascida em 01 de setembro de 1886, Tarsila do Amaral fez mais de 270 quadros, e viveu 86 anos. Dentre as principais características de suas obras, podemos destacar: utilização de cores vivas; influência do cubismo, com formas geométricas; abordagem de temáticas sociais, cotidianos e paisagens do Brasil; estética fora do padrão (influência do surrealismo na fase antropofágica).

No ano de 1920, Tarsila foi estudar na Academia Julian (escola particular de artes plásticas) na cidade de Paris. Já em 1922, fez parte do Salão Oficial dos Artistas da França, onde utilizou técnicas do cubismo em suas obras. Neste mesmo ano, voltou ao Brasil, e formou o “Grupo dos cinco”, grupo mais importante da Semana de Arte Moderna de 1922, composto por Anita Malfatti, Mario de Andrade, Oswald de Andrade e Menotti Del Picchia. Fora Abaporu, outras obras tiveram grande importância: Retrato de Oswald de Andrade (1923), Natureza-morta com relógios (1923), Antropofagia (1929); Pátio com Coração de Jesus (1921); Operários (1933); e Segunda Classe (1933), entre outros.

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5203 ms: Connection timed out