Dicas de Leitura

Leituras para conhecer Cecília Meireles

Essa semana conhecemos a obra da grande escritora infantil Cecília Meireles. Por isso, esta semana dedicamos as leituras a esta grande autora. A primeira delas é uma das mais conhecidas, Ou isto ou aquilo. Cantigas de ninar, cantigas de roda, parlendas, trava-línguas e adivinhas originários do folclore são formas de expressão muito próximas do mundo da criança e com efeitos estéticos bastante sugestivos, criativos e lúdicos. Cecília Meireles no livro Ou isto ou aquilo faz uso desses recursos. “Brinca” com as palavras, explora a sonoridade, o ritmo, as rimas, as repetições, a musicalidade.

ou_isso_ou_aquilo

A segunda obra, já lida por muitas gerações, é O menino azul, ilustrado por Lúcia Hiratsuka. Cecília Meireles, organizadora da primeira biblioteca infantil do país, em sua cidade natal, o Rio de Janeiro, e um dos grandes valores de nossa literatura, tem um estilo voltado para a simplicidade da forma e marcado, ao mesmo tempo, pela riqueza das imagens e símbolos. O menino quer um burrinho/ que saiba inventar/ histórias bonitas/ com pessoas e bichos/ e com barquinhos no mar. A suavidade de sua poesia encanta tanto criança como jovens e adultos. Em O Menino Azul, o imaginário infantil, tratado com leveza, é a tônica dos versos. Esse sentimento toma cor e forma, com as ilustrações inspiradas em técnicas japonesas de Lúcia Hiratsuka, que busca, como a escritora, a simplicidade e a naturalidade presentes na natureza.

o_menino_azul

Por fim, a sugestão é o livro Canção da tarde no campo, ilustrado por Ana Raquel. A leitura desta obra representa a possibilidade de um grande encontro com o lirismo da poesia de Cecília Meireles, considerado pelos críticos como o mais elevado da literatura brasileira contemporânea. Altamente técnica, embora seus versos demonstrem uma simplicidade quase que popular e desenhem imagens sensoriais fortes e musicais. Caminho do campo verde,/ estrada depois de estrada./ Cercas de flores, palmeiras,/ serra azul, água calada./ Eu ando sozinha/ no meio do vale./ Mas a tarde é minha. As imagens criadas por Ana Raquel, com uma experiência de mais de 70 livros ilustrados, captam o sentimento da autora no seu encontro com ela mesma e com a natureza. Meus pés vão pisando a terra/ que é a imagem de minha vida.

cancao_da_tarde

Postar um comentário

*
*