Curiosidades

“Mãe, eu estou namorando”

Dia dos namorados em clima juninoLuiz Gonzaga já cantava: “Ela só quer, só pensa em namorar”. E é no ritmo do forró, já entrando no clima Junino, pegando o mote de Santo Antonio, o santo casamenteiro, que vamos falar sobre namoro. Você já deve ter notado que essa palavra tem circulado cada vez mais cedo entre as crianças. Muitos pais ficam bem preocupados, pois os estímulos hoje em dia são muitos. É televisão, é música, é a Internet. Mas como reagir quando seu filho, de 4 ou 5 anos, chega da escola dizendo: “Mãe, eu estou namorando”.

Para a educadora sexual Maria Helena Vilela, em entrevista à Revista Crescer, “é muito comum ouvir crianças dessa idade dizendo que namoram, mas geralmente é apenas uma paixão platônica, sem atos concretos”. Nestes casos não estenda o assunto ou entre em detalhes. “Não valorize sentimentos e sensações aos quais ela não está preparada para ter”. Se seu filho disse que beijou na boca da amiguinha, não é preciso punir. Diga apenas que beijo na boca não é coisa de criança. É uma demonstração de amor e carinho entre adultos. A melhor maneira de agir é: sinceridade e explicações curtas.

Mas se seu filho já passou da infância, não quer dizer que o assunto deva ser deixado de lado. Os pré-adolescentes e adolescentes também vivem conflitos. Só que não gostam de se expor. Não force uma conversa, caso ele não queira. Mas faça-o pensar sobre o assunto. Dê um livro de presente. A nossa sugestão é Namoro – Conhecendo as razões do coração, de Flávio Gikovate (Editora Moderna). O livro pretende levar aos jovens o pouco – mas importantíssimo – conhecimento acumulado recentemente sobre o amor, e dar a eles ferramentas para entenderem o que se passa na alma e compreenderem melhor suas relações afetivas.

Fontes: Revista Crescer

– O desenvolvimento da sexualidade

– As principais dúvidas, dos pais, para falar de sexo com os filhos

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5208 ms: Connection timed out