Atividades Dicas

Todos nós somos iguais

A chegada à sala de aula de um amiguinho com alguma necessidade especial pode gerar uma movimentação mais intensa entre as crianças. A curiosidade de saber por que ele não consegue acompanhar a turma em determinadas tarefas fica evidente. E é justamente nesta hora que a escola e os pais devem agir.

Mas como fazer isso?  Falar sempre a verdade, de maneira clara e objetiva, é o melhor caminho. Explique que o coleguinha é inteligente, mas aprende de outra forma, já que as pessoas não são iguais e têm limitações próprias.

Mas ainda bateu a insegurança? A literatura pode ajudar. O livro ‘Tudo bem ser diferente’, de Todd Parr, da editora Panda Books, é uma ótima opção para ler com os seus filhos. Outra maneira de abordar as diferenças é brincando. Quando o seu filho tiver em casa com os amigos, e comentar que dentro da sala de aula tem uma criança que não consegue fazer tudo como eles fazem, lance um desafio e mostre que todos têm limitações.

Uma brincadeira interessante é de adivinhar objetos de olhos vendados. Com isso, eles simulam as sensações de pessoa com deficiência visual.  Quer fazer outra simulação? Compre luvas descartáveis e faça-os usarem pelos menos duas, uma em cima da outra. A sensibilidade das mãos vai mudar e pegar alguns objetos não fica tão fácil. E converse muito, mostrando que todos são iguais e que cada pessoa tem seu ritmo de desenvolvimento.

Postar um comentário

*
*

Pin It on Pinterest