Dicas de Leitura

Leituras sobre literatura russa e histórias de abelha

capa do livro O AdolescenteA Copa do Mundo está chegando! Que tal aproveitar o período das férias para fazer leituras sobre o país que sediará os jogos e saber mais sobre sua literatura e histórias que se passam na Rússia? O primeiro autor sugerido é Fiodor Dostoievski, com a obra O adolescente.

 

Um jovem idealista chega em São Petersburgo para uma temporada na casa dos pais. Entusiasmado com a chance de conhecer melhor a figura paterna e disposto a colocar em prática um modo de vida pouco comum, Arkádi começa a frequentar as rodas sociais da família. Porém, à medida que se aproxima dessas pessoas, sua vida toma um rumo inesperado. Ao especular sobre o passado do pai, Arkádi se envolve em um emaranhado de histórias suspeitas em que cada um parece contar apenas o que lhe é conveniente. Enquanto isso, o rapaz recebe um convite: um emprego para trabalhar com o príncipe Sokólski, um senhor rico de saúde frágil. A proposta gera um conflito moral, já que seu trabalho é ficar à toa, servindo de companhia para o príncipe. E, para piorar, com dinheiro na mão, seus valores começam a ruir. Narrado em primeira pessoa, O adolescente é um relato apaixonado e caótico das incursões de um jovem pelo mundo adulto e das escolhas que ele deverá fazer a partir de suas crenças e das incontingências dessa nova fase da vida. O livro vem com um texto introdutório, um mapa de época, uma explicação sobre a composição dos nomes russos e uma lista com todos os personagens do romance.

capa do livro Doutor Jivago

Outras grande obra, escrita por um autor russo é Doutor Jivago, cuja história já foi parar nas telas do cinema, de Boris Pasternak. Publicado originalmente em 1957 fora da União Soviética, após ser banido pela censura do Partido Comunista, Doutor Jivago, que só seria lido por seus conterrâneos em 1987 — 27 anos após a morte de seu autor —, continua sendo o maior e mais importante romance da Rússia pós-revolucionária. Nele, Boris Pasternak traz à luz o drama e a imensidão da Revolução Russa pela história do médico e poeta Iúri Andréievitch Jivago em seu constante esforço de se colocar em consonância com a Revolução. Por seus olhos hesitantes o leitor testemunha a eclosão e as consequências deste que foi um dos eventos mais decisivos do século. Em tempos em que a simples aspiração a uma vida normal é desprovida de qualquer esperança, o amor de Jivago por Lara e sua crença no indivíduo ganham contornos de um ato de resistência. Seguindo a grande tradição do romance épico russo, Pasternak evoca um período historicamente crucial e nele retraça um panorama completo da sociedade da época.

capa do livro Anita a Abelha

Por fim, indicamos uma leitura tão doce quanto seu protagonista. Anita, a abelha, de Katia Canton. Na Colmeia da abelha -rainha não há lugar para Anita, uma abelhinha que não sabe fazer mel. O que ela faz é uma guloseima diferente…O que será? Enquanto os zangões zombam de Anita, ela conhece a abelha Belade, que lhe diz que nem tudo é o que parece. E quem poderia imaginar que dessa nova amizade sairia uma surpresa tão deliciosa?

Compartilhe:

Postar um comentário

*
*