Dicas de Leitura

Dicas para ler e conhecer sobre jogos e artes

Com a chegada das Olimpíadas, o mês de agosto está super movimentado. E para quem está curtindo e acompanhando os jogos, que tal saber um pouco mais sobre o assunto? A primeira dica é o livro O guia dos curiosos – Jogos Olímpicos, de Marcelo Duarte. O sexto volume da coleção O guia dos curiosos, traz as curiosidades e fatos de todos os Jogos Olímpicos desde 1896: a origem das Olimpíadas, as primeiras modalidades esportivas, os bastidores, os heróis olímpicos, os piores momentos e os mais engraçados também, além de tabelas com todos os resultados, as medalhas e os pódios.

O guia dos curiosos

E, para completar, todos os casos polêmicos sobre doping. Você vai saber o que acontecia com os atletas que fossem descobertos trapaceando nas Olimpíadas da Grécia Antiga, quem teve a ideia de criar o revezamento que leva a tocha de Olímpia até a sede dos jogos, por que os franceses não queriam entregar a medalha de ouro ao padeiro que venceu a maratona nos jogos de 1900, o que Guerra nas estrelas e E.T. – o extraterrestre têm a ver com as Olimpíadas de 1984, por que remadores de três países sequestraram um ônibus nos jogos de Atlanta em 1996, quem foi o famoso vencedor de três medalhas de ouro que acabou virando gari em seu país, e muito mais. Histórias curiosas, engraçadas e emocionantes desses heróis apaixonados pelo esporte. E, para Marcelo Duarte, os Jogos têm um sabor especial: ele cobriu as Olimpíadas de 1988 e 1996 como repórter da revista Placar.

Nos tempos de Michelangelo
Na sequência, aproveitando que esta semana falamos sobre o grande gênio das artes Michelangelo, a sugestão é que a meninada aguce a curiosidade e leia mais sobre este artista. A indicação é a obra No tempo de Michelangelo, de Antony Mason. A publicação aborda o período do Renascimento, um grande momento de renovação artística. Michelangelo, pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, viveu nessa época e é considerado um mestre da Renascença.

259957-gg

Por último, ainda seguindo um dos temas da semana, a dica é a leitura do livro A sala dos répteis, de Lemony Snicket, ilustrado por Brett Helquist.  Lemony Snicket é um autor que não pode ser acusado de falta de franqueza. Sabe que nem todo mundo suporta as tristezas que ele conta e por isso – para que depois ninguém reclame – faz questão de avisar: “Se você esperava encontrar uma história tranquila e alegre, lamento dizer que escolheu o livro errado.A história pode parecer animadora no início, quando os meninos Baudelaire passam o tempo em companhia de alguns répteis interessantes e de um tio alto-astral, mas não se deixem enganar…”.Os Baudelaire têm mesmo uma incrível má sorte, mas pode-se afirmar que a vida deles seria bem mais fácil se não tivessem de enfrentar o tempo todo as armadilhas de seu arquiinimigo: o conde Olaf, um homem revoltante, gosmento e pérfido. Em Mau começo ele deu uma pequena amostra do que é capaz de fazer para infernizar a vida de Violet, Klaus e Sunny Baudelaire – e aqui as coisas só pioram. Em 2005, Jim Carrey estrelou uma versão cinematográfica dos três primeiros livros da série, no papel de conde Olaf.

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5205 ms: Connection timed out