Curiosidades

E se não existisse a caneta?

É bem sabido que na época da Pré-História o homem primitivo rabiscava e desenhava as paredes das cavernas. O tempo passou, e hoje sem nos darmos conta, escrevemos com canetas, mais conhecidas como esferográficas . Mas pra chegar até a estas simples e banais canetinhas, o homem passou por muitas etapas.

A escrita foi a responsável por uma grande evolução na civilização humana. A história mostra que os chineses começaram usando pincéis, por volta de mil anos antes de Cristo, e os egípcios, por volta de 300 anos antes de Cristo, usavam varetas de bambu. Entretanto, os Sumérios, em 3500 antes de Cristo, faziam uso da escrita cuneiforme por meio da utilização de objetos de madeira ou de osso em forma de cunha. Por volta de 2.500 antes de Cristo, os egípcios usavam ossos molhados em tinta vegetal para escrever em seus pairos.

E foi nas ruínas de Pompéia que se descobriram um tipo de caneta feita com ponta de bronze. Mas foram os coitados do gansos que tiveram suas penas utilizadas para escrever por muitos séculos, até chegar ao século XIX, quando então a chiquérrima caneta tinteiro foi inventada, nos Estados Unidos.
A esferográfica foi criada no Século XX, em 1938, pelo húngaro Lazlo Biro, que levaria seis anos para aperfeiçoar seu invento, que chegava a custar cem dólares. E foi por volta de dos anos 1940 que este inventor repassou sua patente para o francês Marcel Bich, que criara a revolucionária caneta BIC, que em 1959 foram lançadas no mercado americano e hoje vende cerca de 10 milhões de canetas por dia em todo o mundo.

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5207 ms: Connection timed out