Dicas de Leitura

Leituras biográficas para conhecer Cora Coralina

Como sugerido em nosso texto sobre a poetisa Cora Coralina, as nossas sugestões esta semana são voltadas para esta grande artista, doceira e poetisa. Conhecedores da doçura de seus versos, os leitores de Cora Coralina sempre se perguntaram como teriam sido os doces feitos por ela. Para matar essa curiosidade, a Global Editora, com a anuência de Vicência Brêtas Tahan, filha da poeta, lança o livro “Cora Coralina – Doceira e Poeta“. Uma obra planejada não só como um livro de receitas, mas também em comemoração aos 120 anos de nascimento da poetisa e em homenagem a esta mulher aguerrida, que sempre esteve à frente de seu tempo. Enquanto decidiam quais receitas integrariam o livro – escolhidas a dedo em cadernos amarelecidos pelo tempo -, a equipe percebeu que, mesmo tendo vivido mais de quarenta anos no estado de São Paulo, as receitas tinham profunda relação com os costumes goianos, em especial com a cidade de Villa Boa de Goyaz, terra natal de Cora Coralina. Com isso, os organizadores viajaram para Goiás com o objetivo de captar momentos reveladores dessa relação e tornar visíveis para os leitores as circunstâncias da vida da poeta.

coralina_doceira_poeta
Na sequencia, a segunda indicação é o livro “Melhores poemas Cora Coralina“, uma Seleção de Darcy Franca Denofrio. Simples, muito próximado gosto popular, fluindo com a naturalidade de um riacho entre pedras. A água é límpida, cristalina. Sacia a sede. Assim é a poesia de Cora Coralina, apesar da poetisa nela descobrir certa dureza, como expressa no poema Das Pedras: “Ajuntei todas as pedras/ que vieram sobre mim./ Levantei uma escada muito alta/ e no alto subi./ Teci um tapete floreado/ e no sonho me perdi./ Uma estrada,/ um leito,/ uma casa,/ um companheiro./ Tudo de pedra./ Entre pedras/cresceu a minha poesia./ Minha vida…/ Quebrando pedras/ e plantando flores./ Entre pedras que me esmagavam/ levantei a pedra rude/ dos meus versos”.

MP Cora Coralina_capa.indd

Por último, a dica é a obra “Cora Coração Coralina“, de Lúcia Fidalgo. “Eu sou aquela mulher que fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores.” Melhor definição não há para falar de Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, conhecida na literatura brasileira como Cora Coralina. Goiana, aos catorze anos começou a escrever seus primeiros textos e publicá-los nos jornais de sua cidade.

cora_coracao_coralina

Exerceu também a profissão de doceira, polvilhando em seus versos palavras doces, tocantes, que emocionam e fazem pensar. E foi aos 75 anos que ela escreveu seu primeiro livro. Para ela, o que valia na vida não era o ponto de partida, e sim a caminhada. Conheça sua história de vida apresentada pela frutífera parceria entre Lúcia Fidalgo e Fabiana Salomão.

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5206 ms: Connection timed out