Dicas de Leitura

Leituras para admirar e se encantar com a obra de Mario Quintana

Essa semana conhecemos um pouco sobre a vida e obra do escritor e poeta Mario Quintana. Em sua homenagem, indicamos algumas de suas obras e biografia. A primeira indicação é o livro Melhores Poemas Mario Quintana, com Seleção de Fausto Cunha. Mario Quintana entrou na literatura brasileira quase em surdina, sem estardalhaço, sem autopromoção, como um aprendiz de feiticeiro brindando o público com os seus baús de espanto. Cursou o Colégio Militar de Porto Alegre, trabalhou na Livraria do Globo, fez jornalismo e inúmeras traduções, recebeu vários prêmios literários.

mario_quintana

Ao contrário da maioria dos escritores brasileiros, sempre apressados, Quintana estreou em livro após os 30 anos, com a coletânea de sonetos A Rua dos Cata-Ventos (1940), no qual ainda palpitavam notas neo-simbolistas. A adoção do verso livre, em O Aprendiz de Feiticeiro (1950) coincide com a abertura para o mundo onírico, com um toque de surrealismo. Com “uma qualidade, marca, timbre, ressonância ou maneira que só posso definir como quintanidade”, conforme observa Fausto Cunha no prefácio aos Melhores Poemas Mario Quintana. Apesar do êxito popular, ou talvez por isso mesmo, a crítica custou a reconhecer a obra de Quintana.

lili

A segunda dica é o seu livro Lili Inventa o Mundo. Poemas e mais poemas, frases, textos curtos e uma instigante viagem. Na bagagem, não esquecer de levar a imaginação e a sensibilidade. O próprio autor, Mario Quintana, na abertura do livro, dá o recado ao leitor: As pessoas sem imaginação podem ter tido as mais imprevistas aventuras, podem ter visitado as terras mais estranhas. Nada lhes ficou. Nada lhes sobrou. Uma vida não basta ser apenas vivida: também precisa ser sonhada. E assim, pelas mãos desse grande poeta, dono de um discurso poético da mais alta qualidade, a rotina, as coisas simples, os pequenos acontecimentos do dia-a-dia, a natureza, as pessoas, os animais são reinventados, saem do lugar comum. O Inverno é um vovozinho trêmulo, com a boina enterrada até os olhos, a manta enrolada nos queixos e sempre resmungando: “Eu não passo deste agosto, eu não passo deste agosto…” A leitura de Lili Inventa o Mundo coloca a criança e o leitor de qualquer idade diante da possibilidade de viver a experiência de sonhar.

batalhao

Por fim, a sugestão é O Batalhão das Letras, primeira obra de Mario Quintana voltada para o público infantil, publicada originalmente em 1948. Inovador, o livro apresenta o alfabeto enquanto ensina poesia, ora ressaltando as formas gráficas das letras, ora seus fonemas. Um singular abecedário poético, em que o autor brinca com as letras e as palavras de nossa língua, o livro traz vinte e oito estrofes que apresentam o alfabeto, suas formas gráficas e seus fonemas, sempre em associação aos objetos e ao ambiente do universo infantil.

Compartilhe:

Postar um comentário

*
*