Curiosidades Posts Recentes

Por que os planetas giram?

Não é apenas a Terra que gira. Todos os planetas fazem o mesmo. Mas por que eles ficam rodopiando pelo universo? A reposta parece bem simples, mas é a verdade: eles rodam, pois não tem nenhuma força que os faça parar. E isso começou faz um tempão, com o Big Bang, a explosão que deu origem ao universo há 15 bilhões de anos. Desde então, as partículas do cosmos se atraem e se chocam sem parar. E foi justamente dessas trombadas que nasceram os movimentos de rotação.

Mas vamos explicar com calma para você entender. Imagine o Big Bang, com isso um monte de pedras e poeiras soltas, girando no próprio eixo e batendo uma nas outras. Uma loucura só, não é mesmo? Pois bem, há uns 5 bilhões de anos, uma das regras mais importantes do universo começou a fazer efeito em todo esse material espalhado. Essa regra diz que qualquer coisa que fique mais compacta acaba rodando mais depressa.

Além das pedras e poeira, existiam as nuvens, que “voavam” em círculos também. O que aconteceu foi que a rotação da nuvem, fez com que ela começasse a se condensar, e quanto mais ela se compactava, mais veloz ficava seu giro. Essa reação circular fez as partículas do centro da nuvem condensarem com tanta intensidade, que a temperatura lá no meio chegou à casa dos milhões de graus Celsius. Isso foi o suficiente para disparar as reações nucleares que criaram o Sol. E a criação do sol fez com que mais e mais partículas batessem umas nas outras. Algumas juntaram tanta poeira e pedras que cresceram a ponto de virar planetas. E como os planetas foram criados de partículas que giravam, eles também passaram a rodar. Entretanto, cada um tem faz seu giro em tempo e sentido próprios.

Curiosidade – Quase todos os planetas giram em sentido anti-horário. Mas tem dois que rodam ao contrário: Vênus e Urano. Isso acontece porque eles, quando ainda estavam em formação, foram atingidos por algum objeto do tamanho de um planeta. Para Vênus, além da rotação diferenciada, a pancada fez com que um dia durasse mais do que o próprio ano. Isto é, o tempo de rotação é 243 dias e o de translação: 224 dias. Já Urano, com o choque, ficou “deitado”. Visto da Terra, é como se ele girasse de lado. Isso faz com que as “noites” na metade que está escura durem 42 anos, ou o tempo em que o planeta dá meia-volta em torno do Sol. O tempo de rotação é de 17h e o de translação é de 87 anos!

Fonte: Mundo Estranho

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5206 ms: Connection timed out