Curiosidades

Soltando a voz no carnaval

O carnaval é feito de música. Cada bloco de rua tem o seu hino. E não tem quem não se emocione ao cantar junto com aquela multidão de gente. E já que estamos em plena semana de carnaval, que tal saber como os principais hinos do carnaval de Pernambuco surgiram?

Um dos mais cantados no carnaval pernambucano é o hino do Elefante, uma das troças mais tradicionais de Olinda. Poucas pessoas sabem, mas a música se chama Olinda nº. 1 e tem uma história curiosa. Antes de ser do bloco Elefante, ela foi oferecida ao grupo rival, Pitombeira dos Quatros Cantos, mas eles não aceitaram.  A música, na realidade, nem citava o Elefante, que só foi fundado três anos após a composição da canção, de autoria de Clídio Nigro (melodia) e Clóvis Viera (letra). Mas esse fato não impediu que o compositor mudasse um pouquinho a letra e tornasse-a o hino de um dos blocos mais tradicionais do nosso carnaval.

O hino da Pitombeira dos Quatros Cantos não é menos importante e também não menos famoso. Se não for tocado pelas ladeiras de Olinda é como se não houvesse carnaval. A agremiação surgiu de uma brincadeira de amigos e a letra da música está na boca de todo folião desde 1947. A composição é do pernambucano, e também um dos fundadores do bloco, Alex Caldas. Esse hino atravessou as fronteiras do Brasil e também foi gravado na Espanha com o título de “Bola de Nieve”.

Ah! Não podemos esquecer o Galo da Madrugada. O hino foi criado em 1979 com o objetivo de convocar todos os foliões, como num canto matinal, a cair na festa desde cedo. E o compositor, o professor José Mário Chaves, conseguiu criar uma música que mostra toda a essência dessa maior manifestação carnavalesca do planeta.

Mas, tem uma música que toma conta do corpo do pernambucano, na realidade de qualquer pessoa que a escutar. É como se ela já circulasse nas veias de quem ama a folia. O hino dos Vassourinhas, é muito mais do que uma música de um bloco de carnaval. Ela é o próprio carnaval! Criada em 1909, por Matias da Rocha e Joana Batista Ramos, a Marcha nº1 do Clube dos Vassourinhas resistiu ao tempo e até hoje, mais de 100 anos depois, leva multidões ao delírio. Poucas pessoas sabem, mas o hino do Vassourinhas não é só melodia, ele tem letra.

Então, vamos cair no frevo?

Compartilhe:

Failed to connect to api.facebook.com port 80 after 5205 ms: Connection timed out